A receita japonesa é muito associada ao peixe cru, mas existem opções para aqueles que não se alimentam de produtos de origem animal.

 

sushi vegan

Um dos desafios para quem resolve adotar uma dieta vegana é encontrar alternativas saborosas como os pratos com ingredientes de origem animal mais consagrados. Felizmente, na cozinha a criatividade exerce papel fundamental, e hoje são raros os alimentos “insubstituíveis”, tanto em sabor quanto em propriedades nutricionais.

Um exemplo, dentre inúmeros, é o sushi, famosa e milenar receita japonesa. Quem conhece, pode até achar que é o peixe cru quem define o seu sabor característico, mas a essência do sabor típico de um sushi é a combinação da alga (nori) com o arroz especial, o que abre um enorme caminho para os veganos experimentarem com novos recheios sem descaracterizar o prato. Aliás, um dos sushis tradicionais, o Kappa Maki, da família dos Hosomaki, sempre foi vegano, já que seu recheio é exclusivamente o pepino.

Para Luciana Sanefuji, proprietária de um restaurante japonês no interior de São Paulo, embora ingredientes crus sejam os mais característicos, o sushi combina muito bem com legumes cozidos. “As substituições são diversas. Procuramos usar a imaginação e também a sensibilidade para fazermos uma combinação interessante”, afirma. Suas sugestões são vagem, cenoura e tomate seco com rúcula. Lembrando que cenoura e tomate seco são ricos no gosto umami, o que deixa tudo mais gostoso.

Para quem quer caprichar no umami, além da já citada cenoura e o tomate seco, experimente o shiitake ou shimeji refogados no azeite. São cogumelos muito saborosos que mantêm o toque oriental.

Criado nos EUA, o califórnia roll, com kani, pepino e abacate (geralmente substituído pela manga no Brasil) também pode entrar no cardápio vegano se adaptarmos, abrindo mão do kani, feito com carne de caranguejo. Uma substituição saborosa é retomar o califórnia original e usar abacate. Fica uma mistura interessante da culinária oriental com o frescor das frutas tropicais.

Como se vê, são várias as possibilidades de experimentação. Os exemplos citados, com legumes, frutas e cogumelos, são uma aposta certeira que mantém o sabor suave da receita, mas nada impede o uso de temperos mais fortes, como curry, pimenta ou wasabi. É tudo uma questão de criatividade, ousadia e bom gosto.