Pesquisa mostra que a concentração de glutamato no leite de mães adultas é maior que de mães adolescentes, o que seria determinante para imunidade do bebê.

 

amamentacao1
image-1464
Um estudo desenvolvido pelo professor da Universidade de São Francisco de Quito e ex-secretário de Ciência e Tecnologia do Equador, Manuel Eduardo Baldeón, sugere que os bebês de mães adultas podem ter uma resistência imunológica maior do que os recém-nascidos de mães adolescentes. Isso porque o glutamato, substância que confere o gosto umami — quinto gosto básico do paladar humano -, seria mais abundante no leite materno de mães entre 20 e 36 anos, o que teria ligação direta tanto com a formação do intestino dos bebês, como com o desenvolvimento do sistema imunológico.

A pesquisa desenvolvida por Baldeón só deve ser publicada nos próximos meses, mas alguns de seus resultados foram apresentados pelo professor no XXIII Congresso de Ciência e Tecnologia de Alimentos, que aconteceu na última sexta-feira (04), na Unicamp, em Campinas. Com a palestra “Os benefícios do gosto umami para a saúde: sua presença no leite materno e os efeitos no desenvolvimento dos recém-nascidos”, o pesquisador levou ao público local um pouco mais sobre o quinto gosto básico do paladar humano, que aos poucos tem se popularizado entre os brasileiros.
Segundo Baldeón, uma importante função do glutamato é auxiliar no bom desenvolvimento do intestino, principalmente dos recém-nascidos. “O glutamato é uma fonte de energia fundamental para o desenvolvimento intestinal. Ele auxilia na divisão celular , o que é muito importante, visto que renovamos nosso intestino mais ou menos a cada cinco dias”, explica o professor.

O especialista também destaca a importância do glutamato no funcionamento do sistema imunológico. “Quando um micro-organismo patogênico entra no nosso corpo, as células de defesa começam a combatê-lo. E neste momento o glutamato tem um papel fundamental, pois ajuda a passar a mensagem a outras células, para que elas possam combater o micro-organismo invasor, e consequentemente interromper o seu desenvolvimento”, diz Baldeón.

O professor equatoriano faz questão de ressaltar que o grande resultado de seu estudo foi comprovar que o leite materno de mães adultas possui uma concentração maior de glutamato do que o leite de mães adolescentes. Para o pesquisador, ainda são necessárias outros estudos para comprovar se o glutamato presente no leite materno realmente geraria benefícios para a saúde dos recém-nascidos.
“É muito importante educar as mães sobre os benefícios do leite materno, especialmente as mães adolescentes. Uma boa alimentação nos primeiros meses de vida pode ajudar os filhos a terem uma vida mais saudável”, finaliza Baldeón.

 

GOSTO UMAMI

O gosto Umami é o quinto gosto básico do paladar humano e foi descoberto em 1908 pelo químico japonês Kikunae Ikeda. Porém, só foi reconhecido pela comunidade científica em 2000, quando pesquisadores da universidade de Miami encontraram receptores específicos nas papilas gustativas. O aminoácido ácido glutâmico, o os nucleotídeos inosinato e guanilato são as principais substâncias que proporcionam o Umami. Queijo parmesão, tomate, cogumelos e carnes em geral são os alimentos que têm estas substâncias em grande proporção, e por isso possuem o quinto gosto de forma mais acentuada. As duas principais características do umami são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento.

 

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Race Comunicação

(11) 2548-0720 / 2894-5607

André Ranieri – andreranieri@agenciarace.com

Rogério Artoni – rogerioartoni@agenciarace.com.br