idosos

É necessário atentar-se à alimentação, já que o paladar é um dos sentidos mais prejudicados ao longo do tempo.

São Paulo, setembro de 2017 – Com o passar dos anos, o corpo humano necessita de atenção especial e cuidados diários cada vez mais frequentes. Quando se atinge a terceira idade, alguns problemas podem aparecer devido à grande sobrecarga dos anos passados. Por isso, é preciso estar atento a vários fatores ligados à saúde, principalmente a alimentação. No dia 1º de outubro é celebrado o Dia do Idoso e, por esta razão, este é o momento ideal para entender melhor as pequenas atitudes diárias que podem melhorar a saúde na terceira idade.

É comum que ocorra uma perda gradual de paladar com o avanço da idade, mas as limitações se tornam mais significativas a partir dos 60 anos. Alguns sintomas comuns em idosos são a redução das glândulas salivares e o ressecamento da mucosa bucal, características que interferem diretamente na percepção gustativa e, consequentemente, na aceitação alimentar do indivíduo. “Quando um idoso não sente os gostos de forma adequada, pode consumir determinados alimentos de forma excessiva. Um indivíduo com dificuldades de sentir o gosto salgado, por exemplo, está mais propenso a consumir alimentos com maior quantidade de sal ou deixar de comer de forma adequada”, explica a nutricionista Marilia Zagato.

Levando em conta este cenário, é de grande importância que os idosos prestem atenção na alimentação diária. A dica da especialista é apostar em alimentos umami – um dos cinco gostos básicos do paladar humano –, como tomates, queijos, cogumelos, entre outros. “Um dos principais benefícios do umami para os idosos é o auxílio na saúde bucal, pois esse gosto estimula a salivação. Esse aumento da secreção salivar promove a mastigação e aumenta também a sensibilidade ao sabor, auxiliando o consumo de alimentos que acabam excluídos da dieta do idoso por problemas relacionados à deglutição”, completa Marilia.

O realçador de sabor glutamato monossódico, que proporciona o gosto umami aos pratos e pode ser encontrado na maioria dos supermercados, também é uma alternativa para a melhora na alimentação dos idosos, pois apresenta baixa concentração de sódio. “O glutamato monossódico possui menor quantidade de sódio quando comparado ao sal de mesa. Esse fato pode ser benéfico no controle da ingestão do mineral, o que auxilia a prevenção e o controle da hipertensão, por exemplo”, explica Ilana Elman, doutora em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da USP. “A adição do glutamato monossódico melhora a palatabilidade das preparações e auxilia o processo de salivação, minimizando problemas gustativos”.

Para complementar a dica, a nutricionista, em parceria com o Comitê Umami, apresenta os alimentos que devem estar presentes em cada refeição diária de um idoso – o intuito é minimizar os possíveis desconfortos provenientes da idade. Confira abaixo:

Café da manhã: leite de vaca.
“O leite é um dos principais alimentos fonte de cálcio, mineral importante para a manutenção dos ossos e prevenção de osteoporose”, afirma a nutricionista.

Almoço: carne bovina e tomate.
“A carne é uma excelente fonte de proteínas de boa qualidade e ainda contém vitaminas e minerais importantes para a saúde do idoso. Já o tomate, além das fibras, tem um antioxidante chamado licopeno, responsável por ajudar na prevenção de doenças como as cardiovasculares e diminuir o processo de envelhecimento das células”, ressalta.

Jantar: frango e ervilha.
“Assim como a carne bovina, o frango também é responsável pelo fornecimento de proteínas de boa qualidade, necessárias para a manutenção da massa magra do idoso. A ervilha contém boa quantidade de proteínas e é rica em fibras, que auxiliam o funcionamento do intestino e contribuem com o controle do colesterol”, finaliza Marilia.

UMAMI

É o quinto gosto básico do paladar humano, descoberto em 1908 pelo cientista japonês Kikunae Ikeda. Foi reconhecido cientificamente no ano 2000, quando pesquisadores da Universidade de Miami constataram a existência de receptores específicos para este gosto nas papilas gustativas. O aminoácido ácido glutâmico e os nucleotídeos inosinato e guanilato são as principais substâncias Umami. As duas principais características do Umami são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento. Para saber mais, acesse portalumami.com.br e acompanhe também pelas redes sociais facebook.com/GostoUmami e instagram.com/ogostoumami.