feira vegetais legumes

Procure comprar folhas escuras e crocantes e conhecer os períodos de safra dos alimentos.

São muitos os benefícios que se tem ao adquirir alimentos em uma feira: além de serem mais frescos, são mais baratos – e sempre existe a possibilidade de negociar ainda mais com os feirantes. De quebra, também há uma grande variedade de opções, o ambiente é agradável (quem não adora aproveitar pra comer um pastel com caldo de cana?) e, muito importante: é uma oportunidade de ajudar os pequenos agricultores.

Entretanto, é só com o tempo que aprendemos a escolher os melhores legumes, frutas e verduras. Se você se encaixa no grupo dos iniciantes, é bom ficar de olho em algumas dicas para não enfiar o pé na jaca ou tropeçar em casca de banana quando estiver fazendo suas compras.

Para Thais Cardeal, nutricionista pós-graduada em terapia nutricional e pós-graduanda em nutrição funcional, um primeiro passo é ficar de olho nas folhas: “Devem estar escuras e crocantes. Se estiverem murchas já não estão mais frescas”. Ainda de acordo com Thaís, os legumes precisam ter textura lisa, sem machucados e resistentes ao toque. “Já as frutas devem ter um cheiro agradável e também estarem firmes e sem machucados.”

Evite comprar frutas já descascadas (aquelas embaladas com plástico filme), pois não há como saber se a pessoa que as cortou higienizou as mãos corretamente e fique atento para a presença de larvas ou manchas nos produtos. As folhas também devem possuir uma cor viva, sem furos ou machucados. Aquelas com cores amareladas devem ser evitadas.

Claro que, ainda que essas orientações sejam seguidas à risca, sempre há a possibilidade de se deparar com um alimento que não esteja 100% fresquinho. Para Thaís, optar por produtos de época é uma arma a mais para evitar surpresas desse tipo. “Além de mais baratos, são mais frescos e possuem mais vitaminas e minerais”. Ninguém precisa decorar a safra de cada mês. Atualmente é muito simples encontrar quais os produtos da estação. O ideal é que, antes de ir à feira, o consumidor pesquise para privilegiar alimentos mais frescos e com menos agrotóxicos.

Tenha cuidado especial com as carnes, seja, boi, frango ou peixe, pois são altamente perecíveis. “Principalmente se estiverem expostos nas bancas fora da refrigeração. Mais uma vez, prefira sempre os alimentos frescos”. Uma dica da nutricionista é conversar com os responsáveis das barracas e optar por comprar de vendedores que também são produtores. Com o tempo você irá criar uma relação e eleger as barracas de sua preferência.

Com relação à lavagem e à conservação dos legumes e das verduras, a nutricionista dá algumas dicas importantes, descritas abaixo:

  • Primeiramente, retire os resíduos de verduras e legumes com uma escova específica para eles e lave as folhas uma a uma.
  • Após essa primeira etapa, deixe os alimentos de molho em hipoclorito de sódio durante dez minutos (uma colher de sopa para 1 litro de água).

Ainda de acordo com a profissional, as verduras não devem ser armazenadas na geladeira se não estiverem completamente secas. “Guardar alimentos molhados faz com que eles se deteriorem mais rapidamente. Às vezes de um dia para o outro já estragam”, finaliza Thaís.

Alimentação balanceada

Verduras, legumes e frutas são fundamentais para o bom funcionamento do organismo, e uma alimentação balanceada é aquela com variedade, moderação e equilíbrio. “Um prato de comida deve ter pelo menos dois tipos de verduras e dois de legumes. Coloque um bom azeite e enriqueça com oleaginosas ou sementes para deixar a salada com mais nutrientes e mais saborosa.” Recomendam-se de quatro a cinco porções de verduras e legumes por dia para prevenir doenças cardiovasculares e até cânceres.

Alimentos umami nas feiras

Milho-verde: O queridinho umami está na lista de alimentos que podem ser comprados em feiras, mas para garantir que sejam frescos e de qualidade é importante verificar se estão armazenados em lugar arejado e fresco. Opte por espigas com palha verde e macia e com grãos brilhantes, sem manchas.

Espinafre: Escolha espinafres com folhas vivas, verdes e uniformes e evite maços com partes murchas, manchadas, amareladas ou com talos escurecidos. Tais características indicam que o alimento está velho.

Repolho: A parte superior deve estar firme, pesada e sem rachaduras; já as folhas não podem ter manchas escuras ou perfurações – e se estiverem soltas podem indicar um mau estado de conservação.

Cebola: Evite cebolas com casca machucada ou com furinhos – isso indica que o produto não está adequado para o consumo. A textura do alimento deve ser lisa e firme e o miolo não pode estar murcho.

Batata: Sabe aquelas bolinhas que às vezes estão presentes na superfície das batatas? Então, esses brotos são indicativo de que o alimento está velho. Procure sempre produtos com a casca fina, lisa e com cor mais uniforme, sem cortes ou brotos.