milho

An ear of corn isolated on a white background

O cereal é rico em nutrientes e pode ser encontrado em receitas de diversos países.

São Paulo, maio de 2017 – Na praia ou na cidade, em pratos salgados ou doces… Não há dúvidas de que o milho é um alimento muito versátil e está presente no dia a dia de muitas pessoas. Atualmente, é o cereal mais produzido do mundo e pode ser encontrado em diferentes culturas. Os países líderes no consumo do milho são os Estados Unidos e a China, que utilizam o grão, principalmente, para a geração de energia e nutrição animal. Na gastronomia, o milho é uma ótima opção, seja como protagonista de um prato ou como acompanhamento, o fato é que ele combina com variados tipos de receitas.

Milhos são ricos em vitaminas A e B, proteínas, gorduras, carboidratos, cálcio, ferro, fósforo e amido. O alimento também possui uma substância muito benéfica para a manutenção da flora intestinal: as fibras alimentares. “As fibras são importantes para o desenvolvimento da microbiota intestinal, ou seja, os micro-organismos que habitam o intestino humano e são benéficos para melhora na motilidade e absorção de nutrientes”, comenta Hellen Maluly, doutora em ciência de alimentos pela Unicamp. “Vale ressaltar que o consumo de água junto com as fibras torna a sua ação mais eficaz e evita a constipação intestinal”.

O que poucos sabem é que o cereal carrega uma peculiaridade que o torna ainda mais saboroso: o umami – um dos cinco gostos básicos do paladar humano. O gosto, descoberto em 1908, está presente nos variados tipos do milho e em muitos outros alimentos cotidianos, como o tomate maduro, queijos, cogumelos e carnes em geral. “O umami proporciona benefícios à saúde, como a melhora na aceitação alimentar, principalmente pela elevação na produção de saliva, o que auxilia o processo de mastigação e liberação de aromas, dando um toque especial à característica sensorial das preparações culinárias, além de ajudar na digestão de proteínas quando chegam ao estômago”, analisa a especialista.

No caso do milho, o ácido glutâmico é o aminoácido responsável por conferir o gosto umami – são 106 mg de glutamato por 100g de milho verde. Dessa forma, a maioria das receitas que levam milho podem ser consideradas umami, como no caso do Cuscuz Paulista – que além de salgado, é umami – ou do Brigadeiro de Milho, doce e umami.

UMAMI

É o quinto gosto básico do paladar humano, descoberto em 1908 pelo cientista japonês Kikunae Ikeda. Foi reconhecido cientificamente no ano 2000, quando pesquisadores da Universidade de Miami constataram a existência de receptores específicos para este gosto nas papilas gustativas. O aminoácido ácido glutâmico e os nucleotídeos inosinato e guanilato são as principais substâncias Umami. As duas principais características do Umami são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento. Para saber mais, acesse portalumami.com.br e acompanhe também pelas redes sociais www.facebook.com/GostoUmami/ e instagram.com/ogostoumami

 

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Race Comunicação
(11) 2548-0720 / 2894-5607
Rodolfo ZanchinRogério Artoni
umamiteam@agenciarace.com.br