Alimentos umami, como carnes magras, cenoura e batata, estão entre as opções!

Azia, queimação, regurgitação (gosto amargo na boca), alterações respiratórias, dores abdominais, soluços e enjoos são sintomas muito comuns em pessoas que sofrem de refluxo gastresofágico. Além da orientação médica, que é fundamental, existem hábitos que podem ajudar a diminuir o desconforto, principalmente no quesito alimentação.

“Pessoas que têm refluxo devem manter uma dieta equilibrada, não fumar e fazer o controle do peso, pois a obesidade agrava os sintomas.” A afirmação é de Bianca Giannatempo Rodrigues, nutricionista especializada em nutrição do esporte. “Outra recomendação importante é esperar de duas a três horas após uma refeição para deitar ou dormir”, complementa.

Veja também: Dicas de alimentação em caso de dor de barriga

Boas opções umami para reduzir os refluxos e tratar as feridas comumente causadas pelo retorno do ácido gástrico são carnes magras, frangos e peixes menos gordurosos como a tilápia. “Essas fontes proteicas liberam gastrina, um hormônio que estimula o crescimento da mucosa gástrica, aumenta a pressão do esfíncter (válvula entre o estômago e o esôfago que dá passagem aos alimentos) e induz a cicatrização em casos de feridas na região”, explica Bianca.

De acordo com a especialista, a cenoura e a abóbora, por serem fontes de vitamina A, também favorecem a cicatrização das feridas. “Batata assada com casca e banana, por serem fontes de vitamina B6, colaboram para a melhor utilização da proteína. A laranja lima é menos ácida e fonte de vitamina C, reduzindo também o risco de processos infecciosos”, acrescenta a nutricionista.
Devem ser evitados alimentos cítricos, apimentados e possam causar algum desconforto intestinal (como repolho, brócolis, batata doce e melão), cebola, feijoada e frituras em geral. Das bebidas, evite as com cafeína, as gasosas e alcoólicas. “Essas opções estimulam a secreção gástrica e aumentam a pressão dentro do estômago, comprometendo a mucosa do esôfago e do estômago e piorando os quadros de refluxo.”

Mesmo adotando essas medidas, podem ocorrer crises agudas. O que fazer? Para a nutricionista, nesses momentos é preferível adotar uma dieta mais líquida, que reduza o tempo necessário para digerir os alimentos. “Além de evitar carboidratos, que causam fermentação e distensão abdominal, aumentar o consumo de carnes magras, fragmentar mais as refeições e mastigar bem os alimentos”, conclui.

Cinco alimentos para reduzir refluxos

• Abóbora: possui vitamina A, que auxilia na cicatrização de feridas no estômago e esôfago causadas pelo retorno do ácido gástrico.

• Banana: por ser fonte de vitamina B6, contribui para a melhor utilização de proteínas.

• Batata assada com casca: fonte de vitamina B6, favorece a absorção de proteínas.

• Laranja lima: é menos ácida que outras variedades e fonte de vitamina C, reduzindo risco de infecção.

• Peito de frango: por se uma carne magra e fonte proteica, estimula a produção de gastrina.

Cardápio especial para quem sofre com refluxos

Café da manhã
– Tapioca com queijo branco light
– Suco de couve com laranja lima
– Banana

Almoço
– Arroz branco
– Cenoura cozida
– Espinafre refogado
– Filé de tilápia assado

Jantar
– Batata assada com casca
– Abóbora cozida
– Filé de frango grelhado

Sugestão fornecida pela nutricionista Bianca Giannatempo Rodrigues.