Quem dispensa esse molho tradicional quando está comendo um prato oriental? Descubra qual o mais umami: shoyu chinês ou japonês.

O original surgiu na China em meados de 200 a.C. e é feito à base de soja.

Shoyu
image-2018
Já o da terra do sol nascente leva também trigo. Além disso, a variedade japonesa é maior. Existem cinco tipos: koikuchi, usukuchi, tamari, saishikomi e shiro, que têm diferenças de cor e sabor, resultado de mudanças nos processos de fermentação.

Graças ao modo de preparo, a concentração de glutamato da versão chinesa é maior. E é essa substância que garante o gosto umami, presente nas duas versões do shoyu. Por isso é tão fácil gostar desse molho!

Além de ser usado tradicionalmente nos pratos com peixe cru e no macarrão tipo “noodle”, o shoyu é muito utilizado em receitas que levam frutos do mar e arroz gohan. Aprenda três preparações que levam o molho, feitas pelo chef Shin Koike, do restaurante Sakagura A1:

Rabada Sakagura: a mistura ideal entre o Brasil e o Oriente.

Robalo empanado com dashi de umami: peixe e legumes em uma preparação deliciosa.

Espaguete de cogumelos: transforme ingredientes simples em uma refeição saborosa.